Mikhail Gadelha, pesquisador do Sidia

 

Time de pesquisadores do Sidia, UFAM e Universidade de Manchester desenvolveu uma ferramenta que identifica bugs e gera casos de teste de forma automática em programas que vão desde servidores até aparelhos de celular.

 

Um time formado pelos pesquisadores Mikhail Gadelha, do Sidia Instituto de Ciência e Tecnologia; Rafael Menezes, da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e Kaled Alshmrany e Lucas Cordeiro, da Universidade de Manchester; conquistou dois prêmios na maior competição para verificação de testes do mundo: a 3rd Competition on Software Testing (Test-Comp 2021), divulgado esta semana.

Os prêmios foram Medalha de Ouro na categoria Cover-Error e Medalha de Prata na categoria Overall pelo desenvolvimento da ferramenta FuSeBMC que usa duas técnicas para identificar bugs e gerar casos de teste de forma automática: bounded model checking e fuzzing. “Meu papel foi de liderança técnica, implementando melhorias e correção de bugs no bounded model checking, além de gerenciamento de atividades do time”, explica o pesquisador do Sidia que é doutor em Ciência da Computação, pela Universidade de Southampton, na Inglaterra.

Segundo Gadelha, a FuSeBMC além de encontrar o bug, gera um caso de teste que o desenvolvedor pode executar sem que o programa seja alterado. “Se por engano alguém reintroduzir o bug, o caso de teste aponta a falha”, diz Mikhail Gadelha. “Esses programas rodam em diversos dispositivos, de servidores a celulares, e os casos de testes evitam que falhas cheguem na mão do usuário final”.

O Test-Comp 2021 é uma competição dentro da conferência FASE, que faz parte da European Joint Conferences on Theory & Practice of Software (ETAPS). O evento, onde haveria a entrega dos prêmios, seria realizado em março, em Luxemburgo, mas agora será integralmente online em data a ser definida.